top of page
Buscar
  • Alfa

As 5 fases de um projeto de construção

Atualizado: 26 de jan. de 2022

Um projeto de construção e de arquitetura é um processo que se desenvolve por diferentes fases.



A passagem à fase seguinte do projeto de construção implica não apenas a aprovação da fase a anterior, mas a informação ao cliente de que o projeto de arquitetura está a avançar para os próximos passos. É com base num diálogo permanente entre o cliente e a equipa de arquitetura que todo o processo é desenrolado, para que o projeto de construção e o seu resultado final seja o que melhor responde às expectativas e necessidades do cliente.


É logo na primeira reunião, entre o cliente e o arquiteto, que fica decidido aquilo que vai ser projetado, definindo, por exemplo, o número de quartos, a sala, a cozinha e outros espaços, assim como opções estéticas e condicionantes orçamentais. São ainda analisadas as questões legais e os planos em vigor. Por fim, é também nesta fase inicial do projeto de construção que são discutidos os prazos de elaboração do projeto, assim como a equipa que acompanhará todo o processo.


Regra geral, existem 5 fases de um projeto de construção, podendo variar dependendo do grau de complexidade:



1. Estudo Prévio

Um projeto de construção arranca com o arquiteto a desenvolver preliminarmente o projeto, tendo em conta tudo o que foi estabelecido anteriormente com o cliente. Geralmente, a fase de Estudo Prévio inclui uma apresentação de desenhos, imagens ou maquetas do projeto arquitetónico em causa, para que o cliente compreenda na totalidade o projeto que lhe é proposto. É nesta fase que se inicia o desenvolvimento dos Projetos de Especialidades, sobre a coordenação direta do arquiteto.


2. Pedido de Licença Camarária

Dependendo do tipo de projeto de construção, este pode necessitar de licença por parte das entidades competentes, nomedamente da Câmara Municipal. Nesta fase, o arquiteto desenvolve o projeto de acordo com o estabelecido na fase anterior, preparando o processo de aprovação pela respetiva Câmara Municipal, e das restantes entidades envolvidas no licenciamento do mesmo.


Em simultâneo, ou logo a seguir ao licenciamento do projeto de arquitetura, avança-se com a entrega dos restantes projetos de especialidades legalmente exigidos para aprovação. Caso não haja necessidade de licenciamento, esta será uma fase intermédia de desenvolvimento do projeto.


3. Projeto de Execução e Medições

Após aprovação por parte das entidades competentes, o gestor de projeto, ou o arquiteto, prepara o Projeto de Execução, onde são detalhados todos os trabalhos necessários para a execução da obra. Paralelamente, é iniciado o processo de execução de uma listagem de quantidades de materiais, onde são discriminadas as quantidades de materiais a utilizar, tipos de trabalho e forma de execução, para que seja possível aferir posteriormente o valor do projeto de construção e respetivo orçamento final. É a partir destes documentos que será apresentado um orçamento final, garantindo o cumprimento da obra por parte do empreiteiro.


4. Seleção do empreiteiro

É nesta fase que o cliente seleciona o empreiteiro responsável pelo projeto de construção. O cliente, nesta fase, analisa a capacidade técnica dos empreiteiros, bem como o preço e prazo para a concretização da obra. Nem sempre o preço é um facto determinante na adjudicação, mas sim a conjugação de um vasto conjunto de fatores.

É também nesta fase que se escolhe, de acordo com as regras legais aplicáveis, o diretor de obra, pessoa que dirige a execução da obra, garantindo a sua qualidade e conformidade com o projeto aprovado.


5. Assistência Técnica à Execução da Obra

Esta é a fase de materialização de todo o trabalho desenvolvido até ao momento. Compete ao arquiteto prestar esclarecimentos sobre eventuais dúvidas de leitura dos desenhos, prestar informações complementares sobre o projeto de arquitetura e projeto de construção, ajudando o cliente na verificação da qualidade dos materiais e da execução dos trabalhos. Nem sempre o arquiteto está associado à assistência técnica à obra, pelo que deve ser uma questão prevista na relação entre o cliente e o atelier.


No caso da Almeida Fernandes Arquitetura e Design, todo o processo é supervisionado pela mesma equipa, havendo uma gestão de projeto na totalidade, para que tudo esteja integrado e o projeto de arquitetura e projeto de construção sejam um só, para um resultado que vá ao encontro das expectativas do cliente.




Commenti


bottom of page